27/08/2002
O reggae em São Paulo. Uns dizem ser modismo passageiro!
 


Tudo me leva a crer que essa onda de reggae em São Paulo é apenas um modismo passageiro. Hoje em dia na cidade de São Paulo, temos muitos shows e eventos, muitos artistas surgindo, e outros se reerguendo. Penso assim porque sempre que vou aos shows da cidade, vejo a multidão muito mal informada... basta tocar artista que sempre estão nas rádios mais populares como O Rappa, Planet Hemp, Bob Marley que galera se acende, começam a pular uns em cima dos outros como um show de Hip Hop (nada contra o Hip Hop), mas creio não ter nada a ver com o estilo reggae, a não ser pela luta contra a opressão.

Isso muitas vezes gera brigas e desentendimentos. Agora, se tocar algumas raridades do reggae internacional ou mesmo do nacional, a galera parece vaiar e pedir eles de volta. Acho a relação do reggae com a maconha um erro, assim muitos vão aos shows apenas porque é liberado, falo isso porque tenho muitos amigos que vão apenas para fumar sem serem incomodados... é fato! Isso deixa o reggae banalizado, assim como o forró que agora se chama, “Forró universitário”. Só faltam criarem o “Reggae universitário”!

As pessoas acabam por não irem atrás de suas raízes e ver o quão belo é a sua cultura e história. Mas sempre costumo tirar coisas boas do que vem acontecendo no reggae paulista, como:
 1) Bandas de ótima qualidade podendo mostrar seu valor.
2) Bandas de outros estados sendo conhecidas por aqui.
3) Movimento crescendo cada vez mais no Brasil.
4) Pessoas aprendendo com reggae e ficando com a passagem do modismo.

O reggae em São Paulo ainda está engatinhando, como em todo o Brasil. Mas uma coisa é certa: quando passa uma moda, muitos se aderem e ficam, crescendo e fortalecendo ainda mais o movimento... mas enquanto isso ....

Veremos o grande Burning Spear abrindo show para Pato Banton.
Veremos anúncios de Gladiators e Max Romeo sendo cancelados, dias antes de suas apresentações.
Veremos Gregory tocar apenas 1 hora porque não pagaram seu cache.
Veremos a maioria ir embora no festival internacional de São Paulo depois de tocarem Tribo de Jah e Planta e Raiz, e não assistirem apresentações fantásticas de U-Roy, Sylvia Tella e a grande Fully Fullwood Band.
Veremos um grande festival nacional de reggae, sucesso de público, acabar em pancadaria.
E assim vai...

Conclusão: Reggae em sampa e no Brasil ainda está engatinhando, quase ninguém sabe trabalhar com o reggae, falo da divulgação... e os que sabem não tem poderes para isso. Quero sim que o reggae tome conta de tudo, quero ver artistas que admiro muito tendo seu espaço na mídia sem perder suas raízes, posso citar alguns aqui que representam muito bem o reggae paulista, artista que levam a filosofia, a cultura e a história do reggae para suas músicas, como Afetos, Reggae Style, Leões de Israel, Walking Lions, Vibrações de Jah, Rastafari mix e muitos outros.


Fonte: Renato Surforeggae








 
Jah Works
Vários Artistas
Filosofia Reggae

Estúdio Showlivre
(Reggae)


O que você espera da cena reggae atual?
Que bandas clássicas ressurjam
Que bandas novas apareçam mais.
A cena reggae está legal para mim.


Resultado parcial
Historico de Enquetes


   Morgan Heritage
   Chronixx
   DUB INC
   Jah Defender
   Alborosie


   Mateus Rasta
   Igor Salify
   Vibração Sol
   Andread Jó
   Be Livin



APOIO DESENVOLVIMENTO