12/09/2003
O nascimento do DUB!
 

Pág 1: Anterior |
20/11/2018 - Dia da Consciência Negra: O Herói Zumbi!
11/05/2018 - Os últimos dias de Bob Marley!
19/03/2018 - O dia em que Bob Marley bateu bola no campo de Chico Buarque!
08/03/2017 - Mulheres no Reggae!
22/11/2016 - Parte 1: Para afugentar o Diabo!
21/11/2016 - Parte 2: Para afugentar o Diabo!
11/10/2016 - O impacto da cultura SoundSystem!
21/04/2016 - Amor e devoção! A visita de Selassie à Jamaica!
05/12/2015 - Nelson Mandela: A convicta luta que contagiou o reggae mundial!
21/09/2015 - Haile Selassie no Brasil!
19/01/2015 - A vida de Bob Marley - Os filhos do Rei!
15/11/2014 - A República mudou DE FATO nossas vidas?
27/08/2014 - O Tempo é o Mestre!
28/07/2014 - Chronixx, a nova locomotiva do reggae?
30/01/2014 - A Conexão Reggae / Punk!
17/10/2013 - Quem é Jah?
01/02/2013 - Queremos novidade! Uma análise do mercado reggae no Brasil!
19/06/2012 - A moda passa mas a essência fica!
Pág 1: Anterior |


O dub não surgiu ao acaso, foi um nascimento lento, cerca de 5 anos. E esse parto, se analisado num microcosmo, pode ser descrito como a história da própria música jamaicana. Um misto de sorte, ingenuidade, sofrimento, talento e, porque não, maconha. Para acompanharmos a primeira etapa da formação do dub, essa sim nascida ao acaso, precisamos voltar até 1967, época em que o rocksteady era o som da vez. Ruddy Redwood era dono de um soundsystem em Spanish Town e amigo de um dos barões da música jamaicana, Duke Reid.

Essa fortuita amizada lhe rendia alguns specials, ou dub-plates, acetatos vagabundos que serviam de teste para o lançamento comercial de um compacto. Se a receptividade da música fosse boa nos soundsystems afiliados, "satélites", como o de Ruddy, Duke, através da sua gravadora Treasure Isle, colocava a música no mercado. Pois bem. Um belo dia, Ruddy recebe a música "On The Beach", dos Paragons, sem os vocais. A total falta de atenção do engenheiro de som, fez com que o nome de Ruddy entrasse pra história. Se forço um pouco meus ouvidos, escuto o "bingo" que Ruddy gritou quando ouviu a novidade. À meia noite, Mr. Midnight, como era conhecido, tocou "On the Beach" duas vezes seguidas.

A primeira com vocais e a segunda sem, fazendo todo mundo cantar a música inteira. Foi um sucesso que abalou para sempre as estruturas da música jamaicana: o nascimento das versions. Assim que Reid ficou sabendo dessa possibilisade, tratou logo de produzir versões sem vocal dos seus principais hits. Logo, logo, essas versões começaram a ser lideradas por instrumentos, como o sax e o órgão. Já em 1970, praticamante todos os compactos jamaicanos vinham com uma version no lado B.

Naquela época, a mola mestra musical da Jamaica era a diferenciação. Quem fizesse o feijão com arroz estava morto. Qualquer produtor poderia lançar uma versão sem vocal, ou pedir para um músico tarimbado solar em cima da melodia. Mas, alguns produtores pioneiros, começaram a usar o estúdio e a mesa de som como um instrumento musical como qualquer outro. "Phantom", de Clancy Eccles, "Pop a Top", de Lynford Anderson, e "News Flash", de Joe Gibbs, um instrumental que editava partes de 3 músicas diferentes, são exemplos clássicos dessas inovações. Até que, em 1971, surge "Voo-doo", dos Hippy Boys, mixada por Lynford Anderson, o primeiro dub da história: baixo e bateria lá na frente, guitarra e teclados lá atrás, ecos, delays e reverbs numa desorientação completa.

É importante frisar que essa evolução toda não seria completa sem a figura de King Tubby, o maior mestre do gênero. Levado até o soundsystem de Ruddy Redwood, pelo amigo e produtor Bunny Lee, Tubby pirou com as possibilidades sonoras que surgiam na sua cabeça. Ele montou um pequeno soundystem no bairro pesada de Watergate e chamou U-Roy para ser seu DJ (mais uma vez, DJ na Jamaica é o MC do resto do mundo). Além de muito talentoso, Tubby era um especialista em aparelhagem de som. O cara sabia tudo - só pra mostrar o quanto ele era foda, o estúdio Black Ark, de Lee Perry, contou com sua ajuda para ser montado. Tubby fazia o diabo no seu sound. Espalhava caixas de tweeter pelas árvores e colocava reverb e echo nas músicas.

A parceria dos dois foi essencial para o surgimento do dub como nós o conhecemos, pois Tubby preparava as músicas que U-Roy iria cantar, deixando-as mais lentas e hipnóticas. Os três primeiros hits do "Originator": "Wake The Town" (em cima de "Girl I´ve Got A Date", dos Paragons), "Rule The Nation" (em cima de "You Don´t Care", dos Techniques) e "Wear You To The Ball" (em cima da música de mesmo nome, dos Paragons) são perfeitos para explicar porque U-Roy tinha esse apelido. Ele foi o primeiro DJ moderno da Jamaica, pois deixava de fazer pequenas interjeições para cantar e fazer comentários em cima da letra original.

As intervenções praticadas por Tubby, ao vivo e no seu pequeno estúdio, levaram uma legião de novos produtores a largarem suas fitas master para serem mixadas por Tubby, o primeiro remixer profissional do mundo. Em 1973, surgiram os primeiros álbuns de dub: Blackboard Jungle Dub, dos Upsetters (parceria de Lee Perry e King Tubby), Java Java Dub, mixado por Errol Thompson e Aquarius Dub, mixado por Herman Chin Loy. Em pouco tempo, as pessoas não estavam mais comprando discos pelo nome do artista e do produtor. Elas queriam saber quem era o engenheiro de som. Com o lançamento, em 1974, de Pick a Dub, de Keith Hudson, o dub ganhava a Inglaterra e o mundo.

A quantidade de dubs, versions e riddims na música da Jamaica, pode ser explicada, ao mesmo tempo, pela necessidade dos produtores de ganhar mais dinheiro em cima da mesma música, e da capacidade do povo de reciclar as coisas. Por ser um país pobre, nada podia ser jogado fora, incluíndo aí a música. Com o passar do tempo, essa ganância em aumentar a vida útil de uma música, virou virtuosidade.

MAIS INFORMAÇÕES


 Clique aqui e acesse o blogger do autor.


Fonte: Chico Linhares







'Dub'


Digitaldubs lança novo single com participação do chileno TianoBless! Confira no Surforeggae!


DUB Inc, maior banda de reggae francesa lança novo videoclipe! Assista no Surforeggae!


Saiu! Edu Sattajah lança álbum DUB com baterista inglês e muitas outras feras! Confira!


REAÇÃO! Digitaldubs lança dubplate com participação de BNegão! Confira no Surforeggae!


Digitaldubs lança clipe do single ’Estudando o Dub’ com Tom Zé e Lee ‘Scratch’ Perry! Assista!


Lee Perry ’meets’ Tom Zé! Mestres da música mundial juntos em novo single do Digitaldubs! Ouça!


REGGAE ROAD! Dada Yute, Natiruts e Digitaldubs no segundo episódio da série! Assista!


FREEDOM IN DUB! Alborosie lança versão DUB de seu aclamado disco Freedom & Fyah! Ouça!


GreensLeeves Records lança mixtape insano produzida pelo DigitalDubs! Ouça!


Digitaldubs lança single de peso com participação de Cedric Myton do The Congos! Assista o clipe!




 
Setas Indicam a Direção
Diamba
Roots Time

Reggae Filme de 2010
(Reggae)


O que você espera da cena reggae atual?
Que bandas clássicas ressurjam
Que bandas novas apareçam mais.
A cena reggae está legal para mim.


Resultado parcial
Historico de Enquetes


   Morgan Heritage
   Chronixx
   DUB INC
   Jah Defender
   Alborosie


   Igor Salify
   Vibração Sol
   Andread Jó
   Be Livin
   Angatu



APOIO DESENVOLVIMENTO