Lee "Scratch" Perry


Lee "Scratch" Perry conquistou 1 Grammy em sua carreira.

fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Lee ’Scratch’ Perry começou sua carreira trabalhando como "faz-tudo" no Studio One, sob as ordens do lendário produtor Coxsone Dodd. Em meados da década de 60, ele era um misto de mensageiro, técnico de som, compositor, deejay, segurança e também vocalista, mostrando todo seu ecletismo - foi lá que gravou as faixas reunidas em CHICKEN SCRATCH.

Depois de sete anos de trabalho, brigou com Coxsone por causa dos baixos salários e da falta de reconhecimento, e foi trabalhar com Joe Gibbs, que na época ainda não era um produtor, mas tinha muita grana. Perry passou a comandar o selo de Gibbs, conseguindo alguns hits com suas produções, entre elas uma música onde fazia acusações diretas ao seu ex-patrão.

Pouco tempo depois deixou o novo chefe, novamente atirando para todos os lados, dando mostras do seu gênio terrível e da sua forte personalidade. A partir de 68 passou a trabalhar por conta própria criando seu próprio selo, o Upsetter, e recrutando alguns jovens músicos para formar sua banda de estúdio, os Upsetters.

A formação incluia os irmãos Family Man e Carlton Barret no baixo/bateria, o guitarrista Alva Lewis, o tecladista Glen Adams e Max Romeo nos vocais. Na época todos circulavam por Kingston assintindo filmes do estilo "western-spagueti" no cinema à tarde, e passando as noites no estúdio, onde, devidamente inspirados, criavam ritmos demolidores.

Em 69, Perry emplacou um hit com a banda na Inglaterra justamente inspirado em tais filmes,"Return of Django", o que lhe lhes rendeu seis semanas de shows. Foi a primeira turnê de um grupo jamaicano por lá. Justamente nessa época, os caminhos de Lee Perry se cruzaram com os de Bob Marley, em termos profissionais, visto que eles já se conheciam dos tempos do ska, tendo ambos trabalhado com Coxsone no Studio One.

As coisas estavam mudando na emergente cena reggae jamaicana com o aparecimento de novos selos e produtores independentes, que punham em xeque o reinado dos dois maiores produtores até então, Coxsone e Duke Reid. Assim, os Wailers, que estavam sem produtor depois de terem feito sucesso e brigado com Coxsone, acabaram topando com Lee Perry, então lutando por seu espaço no competitivo mercado.

Depois de algumas jams e gravações com os Upsetters, Bob Marley intimou o grupo à abandonar Perry e se juntar à eles, com o argumento de que a união da melhor banda de estúdio com o melhor grupo vocal da Jamaica seria devastadora. Quando Lee Perry soube da tentativa de Bob ficou furioso, a ponto mesmo de querer matá-lo. O caso só foi resolvido num tête-a- tête entre os dois, quando depois de horas de discussão acalorada eles chegaram a um acordo, deixando a sala onde estavam em meio à risos e tapinhas nas costas.

Os Upsetters se juntariam aos Wailers, sim, mas o produtor exclusivo seria, obviamente, o próprio Perry. Logo todos estariam no estúdio, criando o que seria o ponto alto não só das carreiras de cada um como também da própria história da música jamaicana. A quimica que rolou nas sessões dos Wailers com os Upsetters sob o comando genial de Lee Perry foi fenomenal, tal a quantidade de clássicos que foram produzidos que mudaram os rumos do reggae, e serviram de base ao enorme sucesso alcançado por Bob na sequência, estabelecendo Lee Perry como um dos grandes produtores da Jamaica.

Muitas das músicas que saíram dessas sessões - "Small Axe", "Duppy Conqueror", "Kaya", "Put it on", entre outras - foram regravadas depois por Bob, mas a mágica das gravações originais nunca seria ultrapassada. Entre 69 e 70 as coisas funcionaram bem, mas em 71 a lua de mel entre Lee Perry e os Wailers acabou. Tratando-se de personalidades fortes, foi até natural o rompimento da relação de amor e ódio que se estabeleceu entre eles, em meio à acusações mútuas.

Os Wailers ficaram com os irmãos Barret, reformulando o grupo e assinando contrato com a Island em 72, onde continuaram a fazer história. Os demais músicos seguiram seu caminho e Lee Perry ficou com o nome Upsetter, convocando novos músicos para seu próximo projeto.

Com o fim da revolucionária parceria com os Wailers, Lee ’Scratch’ Perry começou a construir um estúdio que viria a se chamar Black Ark (cuja produção foi compilada em várias coletâneas, entre as quais a sublime ARKOLOGY, reformulando a formação dos Upsetters.

Já estabelecido como produtor, ele conseguiu sua independência em relação aos tradicionais chefões jamaicanos e se afirmou como um dos nomes mais importantes da cena reggae. Entre 74 e 79, o Black Ark foi uma potente usina musical e ditou as regras na música da ilha, sob o comando de seu tresloucado construtor/comandante. O som do Scratch e de sua confraria marcou época com produções inovadoras e à frente do seu tempo.

Passaram pelas mãos do Scratch nomes como Max Romeo, Junior Murvin, Heptones, Gregory Isaacs, Junior Byles, Congos, além de calouros a quem ele dava a tão sonhada primeira chance. E ele ainda encontrava tempo para cuidar de sua carreira solo.

Com as atenções do mundo voltadas para a Jamaica por conta do sucesso de Bob Marley, era natural que a música de Lee Perry se destacasse, levando-o à vôos internacionais. A Island Records assinou com ele um contrato de distribuição, e seu estilo acabou chamando a atenção de figuras como Paul McCartney e o Clash, que inclusive regravaria no seu primeiro disco a clássica ’Police and Thieves’.

Pra manter a tradição, passado um tempo ele rompeu com Chris Blackwell, chefe da gravadora, à quem também fez acusações através de suas músicas. Lee Perry viveu todo esse período trancado no estúdio, às voltas com intermináveis sessões de gravações regadas à álcool e ganja em profusão.

Isso somado às atribuições do estrelato levou-o a sofrer uma séria crise nervosa, que culminou com o incêndio do Black Ark, ateado por ele mesmo, em 79, num episódio trágico. Além de dar um tiro no pé, acabou abandonado por sua mulher, cansada de ter que aturar o seu estilo de vida. O acontecimento significou uma ruptura radical com o passado e marcou o início de uma fase em que ele passou a ter um comportamento um tanto excêntrico.

Às vezes recebia jornalistas agindo de maneira estranha, em meio às ruínas do estúdio, totalmente cobertas de graffitis e outras pinturas, e fazia maluquices de todo o tipo, sempre com um discurso meio fora de órbita. Por essas e outras, ficou com fama de louco. Perry passaria os anos seguintes errando entre a Europa e a Jamaica, chegando a morar em Amsterdam e gravando (poucos) discos. Uma de suas decisões foi parar de produzir outros artistas, e houve uma vez em que ele tentou reconstruir o estúdio, mas a tentativa acabou fracassando.

Em 82 e 84 ele emitiu os primeiros sinais de que poderia voltar à antiga forma com o lançamento de dois ótimos discos, mas foi apenas em 87 que finalmente aconteceu o retorno definitivo do gênio aos seus melhores dias. Trabalhando em conjunto com o produtor inglês Adrian Sherwood e sua banda, a Dub Syndicate, Perry lançaria o clássico "Time Boom X De Devil Dead", muito mais do que uma obra prima.

Foi a sua volta à cena em grande estilo. Na sequência se seguiram outros excelentes lançamentos, bem como várias reedições de suas agora lendárias produções dos anos 70. Estabelecido na Suíça com uma nova esposa, Lee ’Scratch’ Perry se mantém como um dos nomes mais importantes e decisivos na história do Reggae. As últimas notícias que se tem dele é que estaria trabalhando com o filho Omar, na tentativa de recuperar fitas antigas com material gravado no Black Ark, e construindo em casa um novo estúdio, desta vez chamado Blue Ark, de onde certamente sairão grandes produções.


fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d



http://www.upsetter.net/scratch/




O famoso produtor no documentário "Dub Religion"
Duração: 06:25



Lee Perry on Dublin!
Duração: 05:40




   Message From The Black Ark Studios (Do disco Jamaican E.T.).
          


The Upsetter

Return of Django

Clint Eastwood

Many Moods of the Upsetters

Scratch the Upsetter Again

The Good, the Bad and the Upsetters

Eastwood Rides Again

Africa’s Blood

Cloak and Dagger

Rhythm Shower

Blackboard Jungle Dub

Double Seven

DIP Presents the Upsetter

Musical Bones

Return of Wax

Heart of the Dragon

Revolution Dub

Scratch the Super Ape

Roast Fish Collie Weed & Corn Bread

Return of the Super Ape

Megaton Dub

The Return of Pipecock Jackxon

Mystic Miracle Star

History, Mystery & Prophecy

Battle Of Armagideon

Time Boom X De Devil Dead

On the Wire

Satan Kicked the Bucket

Chicken Scratch

Mystic Warrior

Mystic Warrior Dub

From The Secret Laboratory

Message From Yard

Satan’s Dub

Lord God Muzik

Sounds From The Hotline

The Upsetter and The Beat

Excaliburman

Spiritual Healing

Black Ark Experryments

Experryments at the Grass Roots of Dub

Super Ape Inna Jungle

Who Put The Voodoo Pon Reggae

Dub Take the Voodoo Out of Reggae

Technomajikal

Dub Fire

The Original Super Ape

Son of Thunder

Songs to Bring Back the Ark

Techno Party

Jamaican E.T.


Earthman Skanking

Divine Madness... Definitely!

Alien Starman

Panic in Babylon

Alive, More Than Ever

End of an American Dream

The Mighty Upsetter

Repentance

Scratch Conquered

Iron Devil

Dub Setter

Return from Planet Dub

Mad Alien Dub

Blackboard Jungle Vol.1 & 2

The Unfinished Masterpiece

Revelation

Rise Again

Masterpiece

Back on the Controls


Lee "Scratch" Perry











Lee "Scratch" Perry

22/11/2016 - Parte 1: Para afugentar o Diabo!
30/11/2015 - Dada Yute é destaque brasileiro em uma mixtape repleta de mestres do reggae! Confira!
30/11/2015 - Homem de Pedra lança teaser de faixa produzida por Alexandre Carlo do Natiruts! Assista!
16/09/2015 - One Drop Festival traz Lee ’Scratch’ Perry e Mad Professor a São Paulo! Confira!
24/09/2013 - GTA 5, maior game-série da história, traz rádio reggae comandada por Lee Perry!
03/01/2011 - Conheça os indicados ao grammy de melhor álbum de Reggae de 2010!
19/09/2010 - "Original Reggae Style" tem público médio porém vibrante no Estância Alto da Serra! Confira!
01/08/2010 - "Bob Marley and the Golden Age of Reggae" traz fotos inéditas do rei em um livro imperdível! Confira!
26/01/2010 - The Congos retorna ao lendário Black Ark e grava novo álbum com Lee Perry! Saiba mais no Surforeggae!
27/12/2009 - Morre o lendário cantor jamaicano David Isaacs, ex-integrante do The Itals! Saiba mais no Surforeggae!
11/02/2008 - O sobrenome fala mais alto novamente! Stephen Marley leva o Grammy de melhor álbum de Reggae!
10/12/2007 - Confira aqui no Surforeggae a lista dos 5 concorrentes ao prêmio "melhor álbum de reggae" do 50º Grammy!
20/11/2007 - Veja a lista dos que podem ser nomeados para melhor álbum de Reggae do 50º Grammy!
18/04/2007 - Lee Perry em São Paulo: A lenda viva do reggae mundial encanta fãs no Via Funchal! Confira no Surforeggae!
13/04/2007 - Lee Perry, o Tim Maia do Reggae como é conhecido, faz apresentações no Brasil! Confira!
10/04/2007 - O lendário Lee Perry e o Digitaldubs Sound System se apresentam no Circo Voador!
23/07/2006 - O xamã do reggae, Lee Perry, edita um novo álbum ao vivo intitulado "Alive, More Than Ever".
25/05/2003 - Leia sobre um dos maiores festivais de reggae da europa, o "Rototom Sunsplash" na Itália!
25/04/2003 - Lee Perry lança o álbum "Cutting Razor"! Confira!
01/09/2002 - Lee Perry não embarca para o Brasil, mas Mad Professor traz o bom DUB para o festival Dub Mamute!
29/08/2002 - "Scratch" Perry, DJ e músico jamaicano de 66 anos se apresenta no Brasil pela primeira vez, no festival Dub Mamute, em SP!
28/08/2002 - Mini-festival traz o pioneiro do DUB Lee Perry e seu discípulo Mad Professor!
18/10/2001 - Letras Regueiras!




 

FYAH
(Masculino)
Vibrações 15 Anos!
Vibrações
Jam Down

Filme clássico de 1980
(Reggae)


O que você espera da cena reggae atual?
Que bandas clássicas ressurjam
Que bandas novas apareçam mais.
A cena reggae está legal para mim.


Resultado parcial
Historico de Enquetes


   Morgan Heritage
   Chronixx
   DUB INC
   Jah Defender
   Alborosie


   Igor Salify
   Vibração Sol
   Andread Jó
   Be Livin
   Angatu



APOIO DESENVOLVIMENTO