05/12/2015
Nelson Mandela: A convicta luta que contagiou o reggae mundial!
 

Pág 1: Anterior |
19/03/2017 - O dia em que Bob Marley bateu bola no campo de Chico Buarque!
08/03/2017 - Mulheres no Reggae!
22/11/2016 - Parte 1: Para afugentar o Diabo!
21/11/2016 - Parte 2: Para afugentar o Diabo!
20/11/2016 - Dia da Consciência Negra: O Herói Zumbi!
11/10/2016 - O impacto da cultura SoundSystem!
21/04/2016 - Amor e devoção! A visita de Selassie à Jamaica!
21/09/2015 - Haile Selassie no Brasil!
11/05/2015 - Os últimos dias de Bob Marley!
19/01/2015 - A vida de Bob Marley - Os filhos do Rei!
15/11/2014 - A República mudou DE FATO nossas vidas?
27/08/2014 - O Tempo é o Mestre!
28/07/2014 - Chronixx, a nova locomotiva do reggae?
30/01/2014 - A Conexão Reggae / Punk!
17/10/2013 - Quem é Jah?
01/02/2013 - Queremos novidade! Uma análise do mercado reggae no Brasil!
19/06/2012 - A moda passa mas a essência fica!
03/06/2011 - Buju: Inocente ou culpado?
Pág 1: Anterior |


O homem que doou a maior parte de sua vida em prol da igualdade racial, faleceu aos 95 anos no dia 5 de dezembro de 2013. Nelson Mandela lutou pelo bem da humanidade, independente de cor ou credo, porém suas convicções lhe custaram não só sua saúde, mas também sua liberdade.

Foram injustos 27 anos de prisão, além de uma tuberculose que contraiu durante sua detenção na prisão de Robben Island. A força e o foco do maior líder da África Negra era tanta, que na época grandes bandas de reggae (e também de outros gêneros) fizeram diversas músicas não só sobre a reprovação ao Apartheid, como também a favor da libertação de Mandela.


(Mandela, o maior líder da África Negra)


ANTI-APARTHEID


Uma das principais lutas de Mandela foi contra o APARTHEID, absurdo regime separatista que tinha como filosofia a segregação racial. No regime, a minoria branca na África do Sul tinha mais e melhores direitos do que negros. Com o Apartheid e todo sentimento de indignação, a violência e os embargos comerciais começaram, e com os protestos se intensificando não demoraria para que o governo fosse atrás do líder do movimento. Mandela. O regime durou longos 45 anos, de 1948 à 1993.

Apesar de líder, Madiba, como ele era chamado, era incisivo, objetivo, mas não agressivo. Com instrução e bem articulado, seus discursos eram sua principal arma, mas vivendo num regime racista qualquer movimento gracioso era passivo de cadeia.

Querendo deter o ímpeto libertário de Mandela, o governo africano queria apenas um motivo para encarcera-lo, e assim o conseguiu quando ele deixou o país em 1962 (segundo a polícia de forma ilegal), sendo assim preso e acusado, além da atitude de êxodo, por também ter incentivado greves e incitado o povo contra o sistema.

PRISÃO X ESPÍRITO


Em 1963, Madiba foi preso. Foram 27 anos encarcerados, sendo 18 anos em Robben Island (Ilha de Robben), costa da Cidade do Cabo, e mais 9 anos em Pollsmoor, no continente. A cadeia enfraqueceu o corpo do líder, mas não seu espírito. Mandela contraiu tuberculose. Perdeu sua mãe em 1968 e seu filho mais velho um ano depois, sendo proibido de assistir aos dois funerais. Mesmo com o peso psicológico, chegou a se formar em 1989 - ainda na prisão - pela Universidade da África do Sul.

Este período de confinamento fez Mandela se tornar um ícone, e solidificou ainda mais sua imagem de liderança. Justamente aí que a classe artística tomou frente não só sobre à queda do Apartheid, mas também sobre a libertação imediata de Mandela, que de fato aconteceu somente em 1990, no dia 11 de fevereiro.

O REGGAE APOIA MANDELA


Muita bandas da época fizeram músicas partidárias ao líder, como a famosa "Mandela Day" do grupo pop Simple Minds, mas nenhum outro gênero musical se comparou ao reggae. Além de ter sua maioria negra e de já possuir em seu "DNA" a luta pela igualdade social e racial, muitas bandas eram africanas e sentiam na pele todos os malefícios do regime do Apartheid.


(Yami Bolo com "Free Mandela")


Barrington Levy, Yami Bolo, Macka B, Ijahman, Sugar Minott, Mighty Diamonds, e mais uma infinidade de personalidades gritaram pela liberdade de Mandela e o tão sonhado fim do Apartheid. Tanto Mandela quanto a grande classe musical sofreram muito neste lamentável período de desrespeito, porém o legado deixado por estas lutas foi, além das grandes canções, a liberdade do povo e um pouco mais de respeito adquirido.

A situação melhorou, mas há muito trabalho ainda a ser feito, e cabe a nós não deixar que todas as lutas e mensagens proferidas por estas lendas caia no esquecimento. R.I.P. Madiba.


(Descanse em paz, agora 100% Livre)


ESPECIAL REGGAE & MANDELA


Clique aqui e acesse nossa seleção especial de músicas que falam não só das convicções do líder Nelson Mandela, como também da sua luta contra o Apartheid.



Fonte: Rangel Surforeggae








 

STUDIO ONE
(Masculino)
11 Anos de Reggae Pesado
Leões de Israel
Ao vivo 15 Anos

Tribo de Jah
(Reggae)


O que você espera da cena reggae atual?
Que bandas clássicas ressurjam
Que bandas novas apareçam mais.
A cena reggae está legal para mim.


Resultado parcial
Historico de Enquetes


   Morgan Heritage
   Chronixx
   DUB INC
   Jah Defender
   Alborosie


   Igor Salify
   Vibração Sol
   Andread Jó
   Be Livin
   Angatu



APOIO DESENVOLVIMENTO